VITICULTURA
A Conceito é proprietária de 86 hectares de vinhas. Todas são geridas em modo orgânico, sem uso de pesticidas ou herbicidas.

A Conceito é proprietária de 86 hectares de vinhas. Todas são geridas em modo orgânico, sem uso de pesticidas ou herbicidas.

As vinhas velhas somam cerca de 22 hectares. Estão situadas em solos xistosos a 450m de altitude, plantadas com castas tintas misturadas, com condução baixa, e espaldar reduzido. A poda é Gobelet, o que garante uma boa longevidade das plantas e permite preservar a vinha e garantir a permanência e coerência do estilo dos nossos vinhos. Entre as dezenas de castas, têm especial ênfase a Touriga Franca, o Rufete, a Tinta Roriz, o Alicante Bouschet, a Tinta Barroca e a Touriga Nacional.

A seguir em idade, temos 26 hectares de vinhas com cerca de 50 anos. Encontramos aqui plantações mais organizadas por talhões, numa cota ainda de 450m. Temos Touriga Franca, Bastardo, Touriga Nacional, Tinta Roriz e Tinta Barroca, em solos de xisto, com uma condução relativamente baixa, que permite boas e equilibradas maturações.

As vinhas velhas de castas brancas incluem muito Rabigato, mas também outras castas típicas do Douro, como Síria, Gouveio, Boal, Donzelinho Branco e Folgasão, entre outras. Estão situadas em solos graníticos a cerca de 600m de altitude, têm produções baixíssimas e são comoventemente encantadoras.

Em 2007 foram plantadas as vinhas mais altas, a 600m de altitude em solos muito bem drenados, de areia granítica, numa zona de planalto perto de Sebadelhe. As castas são Códega do Larinho, Alvarinho, Arinto, Síria e ainda um pouco de Grüner Veltliner. São 4 hectares das castas do Douro e apenas meio hectare de Grüner, que vai todo para o Conceito Espumante Brut Nature. Condução em Royat Unilateral, poda curta, e uma exposição solar abrangente garantem uvas muito sãs, concentradas e equilibradas de acidez.

Em 2012 foram plantados 3.5 hectares de Rabigato a 450m de altitude, em solos xistosos na zona da Veiga, numa encosta voltada para a Teja. Foi ainda plantado um hectare de várias castas tintas (Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinto Cão, Alicante Bouschet, Tinta Francisca, Baga e Sousão) organizadas por bardos. Os resultados foram tão fascinantes que decidimos plantar mais 8 hectares de castas tintas, com ainda maior variedade (Tinta Roriz, Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinto Cão, Alicante Bouschet, Tinta Francisca, Baga, Sousão, Tinta Miúda, Donzelinho Tinto, Tinta Barroca, Tinta da Barca, Português Azul, Tinta Amarela e Rufete), mas agora escolhendo para cada casta um lugar específico que otimize as suas caraterísticas. Pendências, profundidade dos solos, humidade, exposição solar, etc., tudo foi considerado para encontrar o emparelhamento ideal. A ideia subjacente a esta experiência foi o respeito pelas velhas vinhas, que foram plantadas com princípios semelhantes a estes. Ou seja, o objetivo foi um dia deixar vinhas velhas em legado, não apenas vinhas com muita idade.

As vinhas velhas somam cerca de 22 hectares. Estão situadas em solos xistosos a 450m de altitude, plantadas com castas tintas misturadas, com condução baixa, e espaldar reduzido. A poda é Gobelet, o que garante uma boa longevidade das plantas e permite preservar a vinha e garantir a permanência e coerência do estilo dos nossos vinhos. Entre as dezenas de castas, têm especial ênfase a Touriga Franca, o Rufete, a Tinta Roriz, o Alicante Bouschet, a Tinta Barroca e a Touriga Nacional.

A seguir em idade, temos 26 hectares de vinhas com cerca de 50 anos. Encontramos aqui plantações mais organizadas por talhões, numa cota ainda de 450m. Temos Touriga Franca, Bastardo, Touriga Nacional, Tinta Roriz e Tinta Barroca, em solos de xisto, com uma condução relativamente baixa, que permite boas e equilibradas maturações.

As vinhas velhas de castas brancas incluem muito Rabigato, mas também outras castas típicas do Douro, como Síria, Gouveio, Boal, Donzelinho Branco e Folgasão, entre outras. Estão situadas em solos graníticos a cerca de 600m de altitude, têm produções baixíssimas e são comoventemente encantadoras.

Em 2007 foram plantadas as vinhas mais altas, a 600m de altitude em solos muito bem drenados, de areia granítica, numa zona de planalto perto de Sebadelhe. As castas são Códega do Larinho, Alvarinho, Arinto, Síria e ainda um pouco de Grüner Veltliner. São 4 hectares das castas do Douro e apenas meio hectare de Grüner, que vai todo para o Conceito Espumante Brut Nature. Condução em Royat Unilateral, poda curta, e uma exposição solar abrangente garantem uvas muito sãs, concentradas e equilibradas de acidez.

Em 2012 foram plantados 3.5 hectares de Rabigato a 450m de altitude, em solos xistosos na zona da Veiga, numa encosta voltada para a Teja. Foi ainda plantado um hectare de várias castas tintas (Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinto Cão, Alicante Bouschet, Tinta Francisca, Baga e Sousão) organizadas por bardos. Os resultados foram tão fascinantes que decidimos plantar mais 8 hectares de castas tintas, com ainda maior variedade (Tinta Roriz, Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinto Cão, Alicante Bouschet, Tinta Francisca, Baga, Sousão, Tinta Miúda, Donzelinho Tinto, Tinta Barroca, Tinta da Barca, Português Azul, Tinta Amarela e Rufete), mas agora escolhendo para cada casta um lugar específico que otimize as suas caraterísticas. Pendências, profundidade dos solos, humidade, exposição solar, etc., tudo foi considerado para encontrar o emparelhamento ideal. A ideia subjacente a esta experiência foi o respeito pelas velhas vinhas, que foram plantadas com princípios semelhantes a estes. Ou seja, o objetivo foi um dia deixar vinhas velhas em legado, não apenas vinhas com muita idade.

Voltar
^